Dr. Stefano Gustincich

Artigo gentilmente cedido por Kreso Babic

Traduzido para BabelFAmily por Janete Hatsuko Inamini

Uma das biotecnologias mais inovadoras da última década foi desenvolvida recentemente.  Pela primeira vez, o SINEUP permite que cientistas intervenham nos genes individuais das células para  liberar ou aumentar a quantidade de proteínas que produzem. Esta técnica melhorará a produção de Proteínas, analisará a função dos genes e aperfeiçoará a função celular.
Esta nova tecnologia se baseia na investigação pioneira conduzida pelo laboratório do Dr. Stefano Gustincich da SISSA, em Trieste. O mecanismo baseia-se no descobrimento de uma função completamente nova do ARN. Embora a molécula de ARN seja mais conhecida como mensageira de ARN constituída por genes para a síntese de proteínas, na verdade, a maioria do ARN não é produzida por genes. Já chegou a ser considerado lixo, porém cada vez mais se descobrem funções importantes do ARN não codificado.

 

Trabalhando com colaboradores do Instituto Riken de Yokohama, o laboratório do Dr. Gustincich identificou um ARN não codificado que se liga especificamente com o ARN mensageiro (ARNm) do gene alvo. A seguir, atua como acompanhante, escoltando o ARNm alvo para os ribossomos, onde as proteínas são produzidas. A nova tecnologia foi testada recentemente em uma diversidade de células e através de uma série de genes. Têm-se observado u m grande aumento nos níveis de proteínas em até dez vezes mais. A tecnologia está sendo comercializada pela TransSINE Technologies e Cell Guidance Systems. Piero Carninci, CEO de TransSINE Technologies, declarou "Em muitos sentidos, a técnica é oposta ao ARNi, uma técnica amplamente utilizada que inibe os genes degradando-os antes da produção de proteínas. Ambas as técnicas SINEUP e ARNi possuem uma infinidade de usos na investigação e na biotecnologia sem mencionar as possibilidades de uso em novos medicamentos."  Michael Jones, CEO do Cell Guidance Systems declarou: "Temos recebido uma resposta inicial extraordinária dos investigadores e empresas de biotecnologia. Esta tecnologia exercerá um grande impacto na investigação celular e na medicina em geral. Estamos muito animados de fazer parte desta história que continua evoluindo."

Fonte:  Medical News

Go to top